Opinião


Bem vindos.


Criei este blog para mostrar um pouco da minha região e o gosto que tenho por canários e a sua criação,
Todas as fotografias , opiniões, sugestões são exclusivamente de minha autoria e sem nenhum caracter cientifico.

Salvo alguma excepção, devidamente assinalada com o nome do autor.

SEGUIDORES

sábado, 28 de Maio de 2011

CANÁRIOS - Doenças de A a Z

                                                                               P

                                                                                                
               Parasitas externos


  Vários são os parasitas que atacam os canários, mas vamos apenas referir dois — o piolho das penas e o piolho vermelho
   O canário portador de parasitas sente irritação na pele, acompanhada de comichão, chegando a ferir-se com tamanho mal-estar. O piolho das penas vive permanentemente no corpo da ave, enquanto o piolho vermelho só ataca de noite para sugar o sangue, permanecendo escondido durante o dia em pequenas fendas ou poleiros ocos, das gaiolas.
   As causas são a pouca limpeza e higiene nas instalações, havendo casos em que podem ter aparecido ao adquirir-se uma ave nova, portadora desta praga.
   O tratamento é muito simples. Existem no comércio produtos apropriados em forma de sprays ou em pó, muito eficientes bastando aplicá-los no local e instalações dois ou três dias.


 

        Perda de voz
A perda de voz ou afonia manifesta-se parcial ou totalmente no canário, que deixa de cantar.
   As causas podem ter origem numa ligeira afecção da laringe, numa corrente de ar, na mudança para um outro meio ambiente ou até enfraquecimento.
   Como tratamento, é aconselhável manter a ave em lugar quente e temperatura sem grandes alterações, ter cuidado com a higiene e alimentação, esta enriquecida com papa de ovo. A afonia só é grave para o canário e preocupante para o criador, quando se torna permanente.

         Pevide
O canário tenta alimentar-se sem o conseguir. A doença deve-se ao crescimento de uma substância córnea que se vai tornando saliente na parte que forra a ponta da língua do canário.
   O tratamento faz-se arrancando com muito cuidado a calosidade com a ponta de um alfinete, bem desinfectado, evitando ferir a língua.
          
        Prisão de ventre
  Manifesta-se pelo esforço que o canário tem de fazer para evacuar, por os excrementos serem bastante duros.
   A causa é atribuída a uma deficiente alimentação, normalmente a um excesso de sementes gordas.
   O tratamento é simples, não havendo necessidade de recorrer a medicamentos. Basta fornecer ao canário verdura em abundância durante dois ou três dias e retirar-lhe as sementes «negras» e a papa de ovo.


                                                     Q                                           

             Quistos

   O canário apresenta inchaços ou saliências, sendo mais frequente o seu aparecimento na cabeça, pescoço ou asas.
   Os quistos são, geralmente, motivados por penas encravadas, uma excessiva plumagem ou, nalguns casos, fruto de hereditariedade.
   O tratamento consiste em aplicar, diariamente, tintura de iodo no quisto aberto ou em toda a zona circundante.

                                                    S   

             Sarna

   Manifesta-se nos dedos do canário, pelo endurecimento e descarnação do tecido que os envolve, seguindo-se o aparecimento de uma matéria pegajosa, viscosa, de cor esbranquiçada, por vezes em forma de crosta.
   As causas da sarna devem-se ao aparecimento de parasitas invisíveis que encontram campo aberto para se instalarem onde não existe limpeza. É evidente que um factor a ter em conta é a higiene nas instalações, medida preventiva indispensável.
   O tratamento consiste em lavar os dedos do canário com desinfectante diluído em água tépida, friccionando seguidamente com pomada apropriada.

                                            
                                                   T  

                    Tuberculose
O canário começa a emagrecer, rejeita a comida, anda triste, cansado e febril.
   A causa pode ser uma transmissão hereditária, mudanças bruscas de temperatura ou correntes de ar.
   É uma doença muito contagiosa. Quando se tem a certeza de que os canários estão a morrer com este terrível mal, suprime-se os que estão atacados e faz-se uma desinfecção rigorosa às instalações. Se há apenas suspeita dá-se-lhes espaço para voarem e fornece-se uma alimentação rica e cuidada, administrando-se antibiótico. 


                                            V 
          Variola
A varíola manifesta-se de duas maneiras: cutânea ou pulmunar.
De forma cutânea, presencia-se o aparecimento de botões ou pústulas à volta dos olhos, bico e patas. Estas pústulas contém um líquido purulento que contém os micróbios. À volta dos olhos, estas pústulas podem supurar dando origem a uma conjuntivite e consequente perda da visão. Quanto à forma pulmunar, esta segunda maneira é a forma mais grave. Não aparecem lesões cutâneas, mas somente lesões internas. O diagnóstico desta mortalidade fulminante não se pode fazer a não ser por autópsia. A prevençao é o melhor tratamento (vacinação).

1 comentário:

  1. Meu canario ficou com as unhas tortas ,sempre corto mas agora pioraram ,as asas tambem estão demorando a crescer.Isso aconteceu depois que ele ficou pendurado de cabeça para baixo alguns minutos ,as penas grandes da asa cairam e não mais cresceram ,
    O que devo fazer/Att vania

    ResponderEliminar